«Portugal é um dos Países do Mundo mais avançado em termos de controlo fiscal informático». A declaração foi assumida esta tarde, em Vila Verde, pelo inspector tributário Domingos Fernandes, um dos maiores especialistas da Direcção Distrital de Finanças de Braga na área da “máquina fiscal”. Uma posição assumida durante a Sessão de Esclarecimento promovida pela Associação Empresarial de Vila Verde – AEVIVER, com o apoio da ATAHCA e do Município de Vila Verde, sobre as mais recentes alterações fiscais relativas às mais-valias mobiliárias e imobiliárias e os rendimentos prediais. Numa sessão que reuniu diversos contabilistas e agentes ligados à área, Domingos Fernandes falou, em primeira-mão, da “obrigação” que se avizinha – no quadro do Orçamento de Estado para 2015, das empresas com volume de negócios superior a 100 mil euros «passarem a declarar/comunicar os inventários até 31 de Janeiro de 2015». E foi mais longe: «perspectiva-se, no futuro, que esse inventário seja permanente, dia-a-dia. Qualquer empresa poderá receber uma inspecção de rotina em qualquer altura para conferir o inventário».

Numa sessão marcadamente técnica, os presentes - que encheram a sala disponível na ATAHCA - assistiram a uma sessão «muito proveitosa» e «claramente muito actual», salientou, na ocasião, o presidente do Conselho Fiscal da AEVIVER, Manuel Lourenço Peixoto, coordenador da acção hoje desenvolvida. «Todos saíram mais esclarecidos, melhor preparados e com maior bagagem para atender às questões dos clientes e do tecido empresarial local», realçou.