A Associação Empresaria de Vila Verde (AEVIVER) promoveu esta noite de segunda feira, nas instalações do Instituto Empresarial do Minho (IEMinho), uma sessão de esclarecimento quanto aos futuros apoios comunitários 2020. António Marques, da Associação Industrial do Minho (AIMinho), António Vilela, edil de Vila Verde, e Mota Alves, da ATHACA, foram os convidados.

"As regras ainda podem mudar até 14 de fevereiro". Esta foi uma das conclusões dos três moderadores convidados que perspetivam um novo quadro de apoio comunitário mais do lado dos privados e menos público. "Este será um quadro comunitário de apoio à economia e à inclusão social. Vai deixar de lado os grandes investimentos públicos", disse António Marques, presidente da AIMinho.

Mota Alves, que desvendou que os apoios que aí vêm, e apesar de definidos, apenas podem chegar para o ano após aprovação das candidaturas, visam muito a agricultura. "Principalmente apoios a micro empresas", disse o presidente da direção da ATHACA, que acredita que os territórios rurais até podem tirar partido, com sucesso, desde novo QREN.

Para o edil de Vila Verde, e tendo e tendo em conta uma União Europeia mais do lado dos privados, anunciou a criação de um gabinete de apoio a projetos e a empresas que necessitem de orientação nas candidaturas. "Não nos queremos substituir, mas estaremos disponível para ajudar todos interessados em receber orientação estratégica nas candidaturas", afirmou António Vilela.

A sessão encheu por completo o auditório da IEMinho, onde os associados da AEVIVER não quiseram faltar à sessão de esclarecimento. 

Os sócios da AEVIVER – Associação Empresarial de Vila Verde são convocados para a Assembleia-Geral Ordinária do próximo dia 22 de Dezembro de 2014, às 18h00, no Edifício IEMinho, em Soutelo. A discussão e aprovação do Plano de Atividades e Orçamento e a alteração aos estatutos são dois dos pontos da ordem de trabalhos. Os associados também serão chamados a deliberar sobre a criação da figura do diretor geral e do Conselho Consultivo, entre outros temas de índole 

O curso de vitrinismo da AEVIVER, com o apoio do IEFP, acaba de se instalar definitivamente na Escola Profissional Amar Terra Verde (EPATV), «espaço que reúne todas as condições para uma formação de elevada qualidade», assinala a vice-presidente da AEVIVER para a área da formação, Ana Almeida, que vinca «o importante apoio e colaboração da direcção da Escola Profissional Amar Terra Verde». Estão enquadrados na formação 20 formandos, essencialmente comerciantes e lojistas das malhas comerciais urbanas do concelho de Vila Verde. A referida acção será dinamizada em 150 horas, estando a sua duração prevista até finais de Março de 2015.

Uma formação com uma forte vertente prática, onde pontua uma aprendizagem massiva sobre aplicações de materiais diversos em montras e espaços interiores de lojas, do papel ao cartão, à madeira e gessos, a outras aplicações.

«Trata-se de uma formação muito completa, com uma vertente prática muito acentuada, levada a cabo por formadores especializados e de elevada craveira, pelo que os comerciantes/lojistas e funcionários que tiveram a sorte de ser enquadrados nesta acção comprovarão que é uma oportunidade única, para mais sem qualquer custo e – para mais – com uma pequena bolsa de formação», refere Ana Almeida. Esta antecipa «uma formação de elevada qualidade» e não tem dúvidas de que «é um passo importante para estes comerciantes e funcionários». De resto, «o nível de satisfação, após os primeiros dias, é muito elevado».

Garante, por fim, que «a AEVIVER continuará a envidar esforços para lançar novas formações, nesta e noutras áreas». 

Na sessão de apresentação do projecto “Natal: Comércio Com(n)vida! – Vila Verde tem! Compre cá…”, o presidente da Câmara Municipal de Vila Verde, António Vilela, garantiu que espera que seja possível «mostrar as características do empreendedorismo local». O autarca considerou que tem havido uma «adesão muito interessante» ao projecto e que esta iniciativa pretende ter a maior diversidade comercial possível. «Temos procurado desenvolver acções que contribuam para dar a conhecer Vila Verde de forma positiva», disse o autarca.

Entre 15 e 24 de Dezembro, vão ser promovidas diversas actividades que, segundo a organização, visam «gerar novas e maiores dinâmicas comerciais» não só na sede do concelho mas também noutros núcleos, como Pico de Regalados, Ribeira do Neiva ou Cervães. Entre as acções, encontram-se a iluminação e decoração dos principais pontos do concelho, um concurso de montras de Natal – que tem já 80 estabelecimentos comerciais aderentes –, um comboio natalício, descontos especiais, exposição de doces e sabores de Vila Verde, fotografias com o Pai Natal e ainda uma angariação de bens com fins solidários. 

Para o dia 21 de Dezembro, está marcada a Festa de Natal/Festa da Família, onde haverá sorteios, brindes, rastreios gratuitos, exposição de um bolo-rei gigante da “Doçaria de Vila Verde” e animação musical, entre outras actividades. O concurso de montras de Natal decorrerá entre o dia 15 de Dezembro e o dia 9 de Janeiro, havendo prémios para as três melhores decorações.

O projecto “Natal: Comércio Com(n)vida! – Vila Verde tem! Compre cá…” é dinamizado pela Associação Empresarial de Vila Verde (AEVIVER) e pelo Município de Vila Verde, em parceria com diversos agentes de desenvolvimento local e regional. 

 

As principais associações comerciais e empresariais do norte de Portugal estiveram reunidas, esta tarde de segunda feira, com o Ministro Adjunto e do Desenvolvimento Regional, Poiares Maduro na Exponor em Matosinhos. A reunião, de trabalho, envolveu o Conselho Superior Associativo, do qual faz parte a Associação Empresarial de Vila Verde (AEVIVER).

José Morais e José Carlos Silva, presidente e vice presidente, respetivamente,da AEVIVER, fizeram-se representar nesta reunião com agenda de trabalho que envolve os interesses e defesa dos comerciantes e empresários da Região, nomeadamente Vila Verde, no quadro preparativo do Programa de Fundos Comunitários PORTUGAL 2020. Jorge Pereira, presidente do Conselho Geral da AEVIVER, também esteve presente.

Nesta ronda de trabalho também esteve igualmente presente o presidente da Associação Empresarial de Portugal, Paulo Nunes de Almeida, bem como a maioria dos órgãos que compõem o maior organismo empresarial do País.